top of page
  • Orquestra Sinfônica Brasileira

França é o próximo país a ser celebrado pela Orquestra Sinfônica Brasileira na Série Mundo

Concerto será no dia 17/9, na Sala Cecília Meireles



Desde a sua criação, a Série Mundo, da Orquestra Sinfônica Brasileira, tem celebrado a cultura musical de diversos cantos do planeta. Com programas especiais e convidados ilustres, os concertos da série propiciam um diálogo enriquecedor, estabelecendo pontes entre diferentes tradições musicais. No espetáculo do dia 17 de setembro, que tem a França como grande homenageada, a OSB recebe a maestra Nathalie Marin, que regerá obras de Edino Krieger, Dmitri Shostakovich e do seu conterrâneo Gabriel Fauré no palco da Sala Cecília Meireles. A spalla da OSB, Priscila Rato, é a solista do concerto. A Série Mundo conta com o patrocínio do Bradesco.


O programa tem início com o Andante para Cordas, de Edino Krieger. Inicialmente a peça surgiu como parte integrante do Quarteto de Cordas No. 1, escrito entre Rio e Londres em 1955. No ano seguinte, porém, o compositor resolveu fazer uma transcrição do segundo movimento, Andante, para orquestra de cordas; nascia assim uma das mais delicadas obras-primas do brasileiro.


Discípulo de Saint-Saëns, professor de Ravel e de Enescu, Gabriel Fauré é uma das figuras mais importantes da história da música francesa. Seja em miniaturas para piano, seja em obras mais extensas, seu estilo inconfundível, de intricado manejo harmônico e certo refinamento aristocrático, sempre se faz presente. A suíte Masques et Bergamasques, Op. 112, que será ouvida neste programa, foi originalmente concebida como música incidental em oito partes para um "divertissement" teatral. Com o sucesso expressivo das primeiras montagens, Fauré resolveu adaptar a obra e transformá-la em uma suíte sinfônica de quatro movimentos.


O espetáculo chega ao fim com um tour de force emotivo: o Concerto para Violino No. 1, em Lá menor, Op.77, de Dmitri Shostakovich. A composição é igualmente dramática e desafiadora, impondo inúmeras exigências técnicas e expressivas ao solista e à orquestra.




A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA:


Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 83 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura.

Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, a Shell e a NTS - Nova Transportadora do Sudeste como patrocinadores master, Brookfield e Eletrobras Furnas como patrocinadores, Sergio Bermudes Advogados e SulAmérica como copatrocinadores, além de um conjunto de apoiadores culturais e institucionais.



Saiba mais em



Nathalie Marin, regência

Priscila Rato, violino



PROGRAMA:

EDINO KRIEGER – Andante para cordas

GABRIEL FAURÉ – Masques et Bergamasques, op. 112

  1. Overture: Allegro molto vivo

  2. Menuet: Tempo di minueto. Allegretto moderato

  3. Gavotte: Allegro vivo

  4. Pastorale: Andantino tranquillo

– Intervalo –

DMITRI SHOSTAKOVICH - Concerto para violino nº 1, op. 77

  1. Nocturne: Moderato

  2. Scherzo: Allegro

  3. Passacaglia: Andante - Cadenza

  4. Burlesque: Allegro con brio - Presto



SERVIÇO:

Série Mundo França

Dia 17 de setembro (domingo), às 16h

Local: Sala Cecília Meireles (Rua da Lapa, 47 – Centro, Rio de Janeiro)

Ingressos: R$40,00 (R$20 meia)

Ingressos à venda na bilheteria da Sala Cecília Meireles e no site Eleven Tickets



MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA:

Érica Avelar

erica.avelar@osb.com.br

(21) 98119-4559



Comentarios


Acompanhe tudo sobre a orquestra que toca o Brasil

bottom of page