• Orquestra Sinfônica Brasileira

No Dia das Crianças, OSB apresenta “Pedro e o Lobo”, no Teatro Riachuelo

O ensaio geral de domingo, dia 10, também terá público. O ingresso é um brinquedo, que será destinado pela Orquestra Sinfônica Brasileira ao projeto Vinde a Mim




Na tarde do dia 12 de outubro a Orquestra Sinfônica Brasileira subirá ao palco do Teatro Riachuelo para uma grande homenagem ao Dia das Crianças. No repertório, uma obra escolhida especialmente para os pequenos: “Pedro e o Lobo”, de Sergei Prokofiev. A regência será do maestro Tobias Volkmann e a narração da atriz Suzana Nascimento.


Escrito em 1936, Pedro e o Lobo, composição para orquestra e narrador, é um dos trabalhos mais conhecidos e admirados de Prokofiev. Com texto e música assinados pelo próprio, a composição narra a história de um menino, Pedro, que vive com seu avô próximo a uma floresta. Em um dia ensolarado em que tudo parecia correr bem, o jovenzinho e seus amigos animais se veem em perigo, diante de um lobo ameaçador.


O enredo é uma celebração da amizade, da coragem e do trabalho em grupo e ganha ainda mais cor e vitalidade com a música que o acompanha. O enlace entre os sons dos instrumentos da orquestra, os personagens e a ação narrativa unifica música e texto. Cada um dos personagens da obra é associado a um instrumento ou grupo de instrumentos: Pedro é associado às cordas; o pássaro, à flauta; o gato, ao clarinete; o pato, ao oboé; o avô, ao fagote; o lobo, às trompas; os caçadores, à percussão.


No domingo que antecede o concerto, dia 10 de outubro, o ensaio geral será aberto. O público terá acesso mediante doação de um brinquedo (novo ou usado em bom estado). Cada brinquedo doado dá direito a um ingresso, que deve ser adquirido na bilheteria do Teatro Riachuelo. A arrecadação será destinada a crianças atendidas pelo projeto Vinde a Mim.

Foto: Marina Andrade



SOBRE TOBIAS VOLKMANN


Tobias Volkmann desenvolve carreira de destaque no cenário musical brasileiro e já esteve como convidado à frente de mais de 30 orquestras na Europa, Estados Unidos e América do Sul. Foi Maestro Titular da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Principal Regente Convidado da Orquestra Sinfônica Nacional UFF.

Vencedor dos principais prêmios concedidos no Concurso Internacional de Regência Jorma Panula 2012, na Finlândia, e no Festival Musical Olympus de São Petersburgo em 2013, Volkmann vem atraindo atenção para interpretações consistentes tanto no repertório sinfônico quanto no teatro de ópera e balé. Com versatilidade e sofisticação, Volkmann mostra-se à vontade em uma variedade de estilos, que se estende da interpretação historicamente informada da música do século XVIII às mais desafiadoras obras da música contemporânea, incluindo naturalmente o grande repertório romântico e a música brasileira em suas diversas vertentes.


Em 2015 estreou na sala Gewandhaus de Leipzig como convidado da temporada oficial do Coro e Orquestra Sinfônica da Rádio MDR. Em poucos anos foi convidado a dirigir, em concertos, muitas orquestras europeias e sul-americanas, destacando-se, entre elas, a Orquestra Sinfônica Estatal de São Petersburgo, Orquestra Sinfônica Estatal do Museu Hermitage, Filarmônica de Pilsen, Orquestra Sinfônica do Porto Casa da Música, Orquestra Sinfônica do Chile, Orquestra Sinfônica do SODRE, Orquestra Sinfônica Nacional do Peru, Orquestra Sinfônica Brasileira, Filarmônica de Minas Gerais e Petrobras Sinfônica.

No Theatro Municipal do Rio de Janeiro dedicou-se especialmente à ópera, às grandes obras coral-sinfônicas e ao balé, recebendo reconhecimento de público e crítica. Com a Orquestra Sinfônica Nacional trabalhou principalmente a música dos séculos XX e XXI, em um enfoque particular na música brasileira. Sob sua direção musical a OSN gravou três CDs de música brasileira contemporânea. Como parte indispensável de sua atuação artística, dedica parte de seu tempo à Ação Social Pela Música do Brasil. Dirige regularmente concertos da Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro e acompanha seus jovens músicos em seu desenvolvimento, orientando e incentivando os talentos deste belo projeto social em seus primeiros passos na música.


Foto: Pedro Lopes



SOBRE SUZANA NASCIMENTO


Atriz, autora, diretora, contadora de histórias. Artista multidisciplinar com 20 anos de carreira. Como atriz, fez diversos espetáculos, com destaque para dois solos de sua autoria: “Calango Deu! Os Causos da Dona Zaninha” (Premiada em festivais como FITA (Angra) e Cena Contemporânea (Brasília), com direção de Isaac Bernat, desde 2012, com passagem por mais de 50 cidades brasileiras) e “Em nome da Mãe”, que estreou on-line em 2021, com direção de Miwa Yanagizawa.

Criou e dirigiu o curta-metragem “Árvore Mãe”, em 2020, além do projeto Botica de Histórias, voltado para a oralidade.

Outros trabalhos importantes no teatro: “Os impostores” e “Alice mandou um beijo”, dirigido por Rodrigo Portella; “Dançando no escuro”, dirigido por Dani Barros; “Consertam-se Imóveis”, com direção de Cynthia Reis; “Preciso Andar”, dirigido por Ivan Sugahara; “A história do Barquinho”, com direção de André Paes Leme; “A menina Edith...”, dirigido por Lázaro Ramos; “O que você gostaria que ficasse”, de Miguel Thiré – Mostra Brasil em Portugal 2013; “Peças de Encaixar” (Cia. Dos Atores); Solo “Cena para um figurino” Quadrienal Praga 2011, entre outros.

Foi indicada duas vezes ao Prêmio Botequim Cultural por “Os Impostores” e “Dançando no Escuro”. Dirigiu o espetáculo “Boquinha… e assim surgiu o mundo”, em parceria com Lázaro Ramos, além de diversos shows musicais.

Foi apresentadora, curadora e co-roteirista da série “Janela Janelinha”, da TV Brasil, em 27 episódios (2014). Na mesma emissora, apresentou a série “Brincando”, indicada ao Prêmio TAL (TV latino-americana). Fez os filmes “Santas”, de Roberval Duarte; “A suspeita”, dirigido por Pedro Pelegrino, coprodução de Gloria Pires; “Uber Pool”, de Daan Gielis.

Participou de diversas novelas e séries, na Rede Globo e no Canal Brasil. É autora do livro da peça “Calango Deu!” (ed. Cândido, 2017), além da peça “Contracapa”, que estreou em 2018. É formada em Interpretação (CAL) e Produção Cultural (UFF), além de diversos cursos com Enrique Diaz, Ana Kfouri, Cia. Armazém, Cia dos Atores, entre outros.


PROGRAMA

Sergei Prokofiev – “Pedro e o Lobo”.


SERVIÇO

Orquestra Sinfônica Brasileira – Dia das Crianças

Tobias Volkmann, regência

Suzana Nascimento, narração

Dia 12/10 (Terça-feira), às 17h

Local: Teatro Riachuelo (Rua do Passeio, 38/40 – Centro – Rio de Janeiro)


INGRESSOS

Plateia Vip – R$ 80,00 | R$ 40,00 meia

Plateia e balcão nobre – R$ 70,00 | R$ 35,00 meia

Balcão simples – R$ 50,00 | R$ 25,00 meia

(Crianças até 3 anos não pagam)

Ingressos à venda na bilheteria do teatro e no site Sympla

Capacidade: 430 pessoas

Classificação etária: Livre


MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Érica Avelar

(21) 98119-4559 / 3596-7941

erica.avelar@gmail.com

todas as notícias da orquestra