• Orquestra Sinfônica Brasileira

Orquestra Sinfônica Brasileira abre Temporada 2022 dia 13 de março, na Sala Cecília Meireles

Retomada dos Concertos para a Juventude, Série Pianistas Guiomar Novaes e Fórum de Música Contemporânea são os destaques do ciclo que tem a “água” como tema



Reconhecida como Patrimônio Cultural da cidade e do estado do Rio de Janeiro, a Orquestra Sinfônica Brasileira retorna ao palco no dia 13 de março para a abertura da Temporada 2022. Sob a regência do maestro convidado Roberto Tibiriçá e com a participação da pianista Linda Bustani, dois parceiros de longa da orquestra, a OSB apresentará, na Sala Cecília Meireles, duas obras de Johannes Brahms: o Quarteto para Piano nº3 e o Concerto para Piano nº1. O concerto faz parte da Série Pianistas Guiomar Novaes.


Abrindo o programa, a pianista Linda Bustani apresentará, acompanhada de Michel Bessler (violino), Bernardo Fantini (viola) e David Chew (violoncelo), o Quarteto para piano nº 3, Op.60, de Johannes Brahms. A intensidade emotiva da peça, composta por quatro movimentos, revela um Brahms já maduro e senhor das suas técnicas composicionais.


Na segunda parte, a solista volta ao palco, desta vez acompanhada pela orquestra completa, para a execução do Concerto para Piano nº1, Op.15, também do compositor alemão. A obra, em três movimentos, foi a primeira composição orquestral de fôlego que Brahms escreveu. Trata-se de uma peça densa, de contornos trágicos, em que o exercício pianístico se alia à seriedade sinfônica.



Com o tema “Águas”, temporada artística contará com ampla presença feminina e destaque para a música brasileira


Desde o início da pandemia, no início de 2020, a Temporada 2022 é a primeira planejada para receber público presencialmente em 100% de suas atividades. O ciclo marca a necessidade de retomada da convivência e traz à tona um paralelo entre a música e a força das águas. “Assim como a música, a água é um elemento que nos conecta. A água como um elemento fundamental da vida humana, que lava, gera sustento e é nesse sentido que queremos trazer a temática como fio condutor de nossa temporada artística”, explica a Vice-presidente da Fundação OSB, Ana Flávia Cabral Souza Leite. O tema estará presente em parte dos programas dos concertos ao longo do ano, explorado em obras que fazem menção à chuva, rios e mares, e em ações do projeto Conexões Musicais.


Atendendo a pedidos do público, a temporada que se inicia promoverá o resgate de uma série de grande sucesso ao longo dos 81 anos de história da OSB. A Série Pianistas, que em 2022 homenageará Guiomar Novaes, contará com quatro concertos e, além de Linda Bustani, contará com nomes como Fábio Martino, Giulio Draghi e Erika Ribeiro. Na primeira parte das apresentações, que acontecerão na Sala Cecília Meireles e Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o público ouvirá o solista em um recital de piano solo ou em pequenas formações de câmara e, na segunda parte, haverá a execução de uma obra para piano e orquestra.


Realizada em parceria com Embaixadas e Consulados dos países homenageados e com patrocínio do Bradesco, a Série Mundo também terá espaço na programação de 2022, com cinco concertos. Maestros e solistas estrangeiros e brasileiros executarão obras emblemáticas dos países em foco. O Azerbaijão abre o ciclo, com a presença do maestro azerbaijanês Yalchin Adigezalov e do pianista brasileiro Cristian Budu. Espanha, Portugal, Israel e França também terão suas riquezas musicais exploradas pela série, cujos concertos serão na Sala Cecília Meireles, TMRJ e Cidade das Artes.


Um paralelo entre a música de concerto brasileira e a música sinfônica estrangeira de todas as épocas é a proposta da Série Sinfônica Brasileira. O primeiro dos seis concertos programados acontecerá na Sala Cecília Meireles, com regência de Cláudio Cruz e Mariana Amaral (violoncelo) e Pedro Gadelha (contrabaixo) como solistas. Ricardo Bologna, Ligia Amadio, Daniel Guedes, Alba Bonfim e Emmanuele Baldini são os outros regentes confirmados na série que contará, ainda, com solistas de peso, como os pianistas André Mehmari e Nahim Marun.


Os instrumentistas da Orquestra Sinfônica Brasileira estarão em evidência nos concertos da Série Músicos da OSB. No ciclo que joga luz sobre as individualidades artísticas dos músicos da orquestra, colocando-os na posição de solistas, grupos de câmara e ensembles camerísticos realizarão seis apresentações no palco do Teatro de Câmara, na Cidade das Artes.


A música Brasileira será celebrada, também, durante o Fórum de Música Contemporânea, que a OSB levará ao Centro Cultural da Justiça Federal, em outubro. Debates, workshops, concertos de câmara e exibição de filmes e óperas estarão na programação do evento que será presidido pela compositora Jocy de Oliveira. A ideia surgiu em 2020, quando a Orquestra Sinfônica Brasileira completou 80 anos de existência e estreou 17 obras de compositores contemporâneos. Em função da pandemia, a execução dessas peças foi apenas virtual e o desejo de apresentá-las presencialmente, enaltecendo o cenário atual da música de concerto, deu origem ao Fórum. O centenário da Semana de Arte Moderna e sua influência no que é produzido hoje na música de concerto nacional será um dos temas abordados nos debates. Todas as atividades serão gratuitas e as inscrições serão anunciadas oportunamente.


Em parceria com o Festival Internacional de Piano do Rio de Janeiro, a OSB subirá ao palco do Theatro Municipal em abril para o concerto de abertura do evento e para acompanhar os finalistas da competição, sob regência do maestro Roberto Tibiriçá. E como já é tradição, a Orquestra Sinfônica Brasileira marcará presença na abertura do Rock in Rio. No dia 2 de setembro, a OSB, sob regência do maestro Eduardo Pereira e acompanhada da banda Sepultura, realizará o show de abertura do festival, no Palco Mundo.



Concertos para a Juventude estão de volta em 2022


Em 1943, a Orquestra Sinfônica Brasileira subiu ao palco do Cine Teatro Rex para dar início a um dos projetos que fariam parte de seu DNA: Os Concertos para a Juventude. As apresentações de caráter didático com entrada a preços populares são sucesso de público desde então, cumprindo seu papel de ampliação de plateia e democratização do acesso à música de concerto. Em 2022, as apresentações terão lugar de destaque na programação, levando músicos da OSB, regentes e solistas convidados aos palcos da Sala Cecília Meireles, Cidade das Artes e Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Serão, no total, treze apresentações, com ingressos a R$10.




Conexões Musicais, projeto de responsabilidade social da OSB, segue em 2022


Criado em 2017, o Conexões Musicais é o projeto de responsabilidade social da Orquestra Sinfônica Brasileira e tem como objetivo criar uma rede de interação em diversas localidades do país, promovendo transformação social por meio do acesso à cultura e à educação musical.


Mais de 30 municípios de sete estados brasileiros já receberam as ações presenciais do projeto Conexões Musicais. Adaptado para o formato on-line desde o início da pandemia, o programa realizou, em 2021, mais de 2 mil horas de aula com os músicos da OSB e convidados, além do Festival Conexões Musicais, que contou com aulas, debates e apresentações musicais. A previsão para 2022 é que as atividades remotas abram espaço para os encontros presenciais, tão logo haja condições sanitárias seguras para alunos e professores.


Ainda este ano, o projeto ganhará uma nova frente: jovens estudantes de música, alunos do Programa Vale Música, vindos de Belém (PA), Corumbá (MS) e Serra (ES), terão a oportunidade de viver uma experiência intensa junto à Orquestra Sinfônica Brasileira. Eles participarão de um intercâmbio e viverão a rotina da orquestra durante seis meses, no Rio de Janeiro, tocando junto com os instrumentistas da OSB e recebendo mentoria.


E o tema da temporada artística da OSB - Águas - também estará presente nas atividades do Conexões Musicais. No Rio de Janeiro, jovens moradores de comunidades ribeirinhas alunos do Projeto Flautistas da Marambaia - Meninos do Mangue terão oficinas, workshops e atividades voltadas para a prática instrumental com instrumentistas da Orquestra Sinfônica Brasileira.


O Conexões Musicais segue atuando em sete estados brasileiros, em sinergia com doze polos educacionais parceiros, aos quais a instituição oferece atividades como aulas de instrumentos e regência, capacitação para os gestores, além de ingressos para que os alunos e professores possam estar presentes nos concertos da temporada artística da Orquestra Sinfônica Brasileira. Ainda em 2022 o projeto deve ser expandido para outras localidades.



A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA


Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 81 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura.


Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor e a NTS - Nova Transportadora do Sudeste, como patrocinadora master e a Brookfield como patrocinadora, além de um conjunto de copatrocinadores e apoiadores culturais e institucionais.

A Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira acaba de ser contemplada com o selo “Women on Board”, chancela concedida a empresas que tenham mulheres em seus Conselhos, com o objetivo de demonstrar os benefícios desta diversidade ao mundo empresarial e à sociedade. A iniciativa, que conta com o apoio da ONU Mulheres, busca reconhecer as boas práticas em ambientes corporativos e acompanhar os benefícios oriundos da diversidade em posições de liderança, funcionando como um ativo estratégico e importante para empresas que pretendem se destacar em eficiência, criatividade e responsabilidade social.



PROGRAMA (Concerto 13/03):

JOHANNES BRAHMS – Quarteto para Piano em Dó menor, Op. 60

  1. Allegro non troppo

  2. Scherzo: Allegro

  3. Andante

  4. Finale: Allegro comodo

JOHANNES BRAHMS – Concerto para Piano em Ré menor, Op.15

  1. Maestoso

  2. Adagio

  3. Rondo. Allegro non troppo



Roberto Tibiriçá, regência

Linda Bustani, piano

Quarteto: Linda Bustani (piano), Michel Bessler (violino), Bernardo Fantini (viola), David Chew (violoncelo)


SERVIÇO

OSB - Abertura da Temporada 2022 | Série Pianistas Guiomar Novaes

Dia 13 de março de 2022 (domingo), às 17h

Local: Sala Cecília Meireles (Rua da Lapa, 47 – Centro, Rio de Janeiro)

Ingressos: R$ 40,00 (R$20,00 meia)

À venda na bilheteria da Sala e no site Sympla

(https://bileto.sympla.com.br/event/71774/d/12862)


MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Érica Avelar

(21) 98119-4559 / 3596-7941

erica.avelar@gmail.com

Logotipo-GiroOSB-1.png

todas as notícias da orquestra