• Orquestra Sinfônica Brasileira

Orquestra Sinfônica Brasileira celebra o folclore nacional na série “A OSB do Brasil”

Primeiro de cinco espetáculos temáticos será apresentado nos dias 8 e 9 de setembro, no Teatro Riachuelo




Cinco espetáculos inéditos que celebram a cultura popular brasileira compõem a série “A OSB do Brasil”, que a Orquestra Sinfônica Brasileira levará aos palcos do Rio de Janeiro a partir de setembro. O grupo apresentará arranjos sinfônicos para um vasto repertório que retrata o folclore das cinco regiões do país, em espetáculos temáticos e multilinguagens que contarão com participações especiais de artistas representativos de cada território. Abrindo a série, o espetáculo dedicado à Região Sudeste será apresentado no Teatro Riachuelo, nos dias 8 e 9 de setembro, e terá Jongo da Serrinha e Ivo Meirelles como convidados e regência do maestro Roberto Tibiriça. A série “A OSB do Brasil” tem patrocínio do Bradesco.





Olhar para o valor cultural da história do país, estabelecendo uma ponte entre o passado e o presente, para enxergar o futuro. Reflexões como essa deram origem ao conceito da série que que joga luz sobre a cultura regional, os saberes e as tradições das raízes do povo brasileiro. Patrimônio Cultural Imaterial da Cidade do Rio de Janeiro, a Orquestra Sinfônica Brasileira, uma das mais tradicionais e longevas do país, pretende, com o projeto, reconhecer o valor cultural da música popular e do folclore brasileiro. “A OSB do Brasil é transversal e dialoga multisetorialmente: história, cultura, sociedade, sempre por meio da música. Os espetáculos da série são mais do que uma programação artística, já que as artes podem ser formas de resistência, representação e pertencimento. A música é o amálgama de toda essa narrativa”, explica a Vice-Presidente Executiva da Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira, Ana Flávia Cabral Souza Leite. “Reconhecer o valor cultural da música popular e do nosso folclore é uma missão da instituição, sobretudo trazendo luz e destaque para artistas que não tiveram a chance de ser ouvidos pelo grande público”, completa.

Para isso, foram concebidos cinco espetáculos temáticos em reverência à cultura popular das cinco regiões brasileiras, que serão apresentados até o fim do ano, em dez concertos. Sudeste, Sul, Centro-Oeste, Norte e Nordeste terão suas riquezas musicais retratadas em arranjos sinfônicos criados especialmente para a série, que tem curadoria musical colaborativa da Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira em parceria com o maestro Eduardo Pereira.

Além da música, as apresentações também contarão com outras manifestações artísticas. Logo no início de cada espetáculo, textos de mulheres poetas brasileiras, que vão da literatura tradicional de cordel a Cora Coralina, serão recitados na voz de Zezé Motta. A linguagem audiovisual também será explorada, por meio de video mapping, que levará ao palco referências imagéticas de cada região. Com direção de Vitor Souza Lima, os vídeos funcionarão como um complemento à narrativa orquestral.

Danças tradicionais, choro, samba e carnaval dão o tom do espetáculo em homenagem à REGIÃO SUDESTE

O primeiro espetáculo do projeto, em que o folclore da Região Sudeste estará em foco, conta com arranjos produzidos por Lipe Portinho e Ane Azevedo. Logo na abertura, a OSB, regida pelo maestro Roberto Tibiriçá, abordará musicalmente a diversidade cultural da região, explorando suas inúmeras influências desde os povos indígenas até a cultura trazida pelos imigrantes.

No primeiro bloco, dedicado ao folclore rural, serão apresentadas as riquezas tradicionais de cada um dos quatro estados da região. A Catira de São Paulo, o Congo e o Ticumbi do Espírito Santo, o Catopé de Minas Gerais e o Jongo e as Folias de Reis do Rio de Janeiro são algumas das manifestações celebradas nesta parte.

O folclore urbano, representado pelo Maxixe, o Choro, o Samba Paulista e o Samba Carioca, ganhará espaço no segundo bloco, com músicas de Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha, Adoniran Barbosa, Nelson Sargento, entre outros grandes nomes. Representantes do Jongo da Serrinha e Ivo Meirelles se juntam à OSB na interpretação dos clássicos do samba do Rio de Janeiro.

Para Lazir Sinval, Coordenadora Artística e integrante do Jongo da Serrinha que participará do evento, trata-se de um momento de pura emoção. “É um sonho ver o Jongo da Serrinha e a nossa OSB juntos nesse lindo espetáculo. Uma linda integração, fortalecendo nossa identidade brasileira e nossas manifestações populares. É a ancestralidade em cena com toda a força, magia e encantamento”, diz.

E o Carnaval toma conta do terceiro e último bloco do espetáculo, dedicado às festas populares. Ivo Meirelles segue no palco com a OSB, interpretando grandes sucessos como “Triste Madrugada”, “O Amanhã” e “Trem das Onze”, e encerrando com “Aquarela Brasileira”.

Demais regiões serão celebradas em espetáculos até dezembro

Ainda no mês de setembro, nos dias 23 e 24, serão apresentados os espetáculos em homenagem à Região Sul. Sob a regência do maestro Tobias Volkmann, a OSB receberá o aclamado instrumentista Renato Borghetti, o violonista Daniel Sá e a cantora Ana Paula da Silva.


A Região Centro-Oeste é o tema dos eventos dos dias 4 e 5 de outubro. A violeira Carol Carneiro se junta à Orquestra Sinfônica Brasileira, no programa que contará com a regência do maestro Eduardo Pereira. No repertório, clássicos da música caipira e do chamamé, reverenciando também as danças típicas e cantigas de roda.


Nos dias 16 e 17 de novembro é a vez das riquezas da Região Norte invadirem a série “A OSB do Brasil”. Três das principais vozes do Festival Folclórico de Parintins, os levantadores de toadas Patrick Araújo, David Assayag e Márcia Siqueira serão as participações especiais no espetáculo que contará com regência do maestro Luiz Fernando Malheiro.


A Região Nordeste fecha a série, com as apresentações dos dias 7 e 8 de dezembro. Regida por Lanfranco Marcelletti, a OSB dividirá o palco com Elba Ramalho, acompanhada do violeiro Marcos Arcanjo, do sanfoneiro Rafael Meninão e do Maestro Spok.


Podcast, e-book infantil, EP e minidocumentário são subprodutos da série e serão lançados paralelamente


A experiência “A OSB do Brasil” poderá também ser vivida fora da sala de espetáculo. Após cada um dos ciclos, será disponibilizado um episódio do podcast sobre cada realização. Maestros, arranjadores e artistas convidados vão contar ao público curiosidades dos bastidores e falar sobre o processo criativo.


E o público infantojuvenil também será contemplado pelas ações da série. No dia 12 de outubro, Dia das Crianças, será lançado um e-book sobre os gêneros folclóricos celebrados na série de espetáculos. Com dramaturgia de Daniela Fossaluza e Fábio Sombra, o material também ganhará versão em audiobook, com elaborados efeitos sonoros a ser lançado gratuitamente nas principais plataformas de streaming de áudio.


Tanto o podcast como o e-book possuem caráter educativo, focado na pesquisa sobre a cultura folclórica, e realizam um desejo antigo da instituição: levar o “Conexões Musicais”, projeto social e educacional da FOSB, para dentro da temporada artística.


Em dezembro, será lançado, também nas plataformas de streaming de áudio, um EP com cinco faixas gravadas ao vivo, uma em cada espetáculo, além de um minidocumentário com bastidores e entrevistas sobre todo o processo de realização da série.


PROGRAMA


BLOCO 1

Folclore Rural (instrumental + Jongo da Serrinha)

➢ Folclore de Minas Gerais:

• Catopê “Zum-Zum”

• Modinha “Moça Mineira”

• Seresta “Recordar-te / É a Ti, Flor do Céu / A Retirada”

• Modinha “Mistura de Temas / Peixe Vivo”

➢ Folclore do Espírito Santo:

• Congo Capixaba

• Congo “Hino do Espírito Santo” (Arthur Napoleão / Peçanha Póvoa)

• Congo “São Benedito, Ele é um Cravo”

• Ticumbi “São Benedito Está Contente”

• Congo “Madalena do Jucu”

• Ticumbi “Oi Guerra”

➢ Folclore de São Paulo:

• Batuque de Umbigada

• Moda de Viola

• Catira

➢ Folclore do Rio de Janeiro:

• Jongo “Rosário de Maria / Pisei na Pedra / Saracura / Vou Caminhar / Benção de

Deus


BLOCO 2

Folclore Urbano (todo instrumental)

➢ Maxixe / Tango Brasileiro:

• Tango Brasileiro (Ernesto Nazareth)

• Corta-Jaca” (Chiquinha Gonzaga e Machado Careca)

➢ Choro:

• Lamentos (Pixinguinha)

• Arthur Virou Bode (Candinho do Trombone)

• André de Sapato Novo (André Vitor Correia)

➢ Samba Paulistano:

• Tiro ao Álvaro (Adoniran Barbosa)

• Samba do Arnesto (Adoniran Barbosa)

• Saudosa Maloca (Adoniran Barbosa)

➢ Samba Carioca:

• Pelo Telefone (Donga e Mauro de Almeida)

• Amor Aventureiro (Mano Décio da Viola e Silas de Oliveira)

• Testamento de Partideiro (Candeia)

• Agoniza Mas Não Morre (Nelson Sargento)


BLOCO 3

Festa Popular “Carnaval” (Ivo Meirelles + Jongo da Serrinha)

➢ Carnaval de São Paulo

• Triste Madrugada (Jorge Costa)

• Trem das Onze (Adoniran Barbosa)

• Tradição (Geraldo Filme)

➢ Carnaval do Rio de Janeiro

• Caymmi Mostra ao Mundo o que a Bahia e Mangueira Tem (Ivo Meirelles)

• O Amanhã (Aroldo Melodia)

• Aquarela Brasileira (Roberto Ribeiro)



SERVIÇO

A OSB do Brasil – Região Sudeste

Orquestra Sinfônica Brasileira

Roberto Tibiriçá, regência

Participações Especiais: Integrantes do Jongo da Serrinha e Ivo Meirelles

Dias 8 e 9 de setembro de 2021

Horário: 19h

Local: Teatro Riachuelo (Rua do Passeio, 38/40 – Centro – Rio de Janeiro)


INGRESSOS

Plateia Vip – R$ 80,00

Plateia e balcão nobre – R$ 70,00

Balcão simples – R$ 50,00

Capacidade: 430 pessoas

Classificação etária: Livre


MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Érica Avelar

(21) 98119-4559 / 3596-7941

erica.avelar@gmail.com

todas as notícias da orquestra