• Orquestra Sinfônica Brasileira

Orquestra Sinfônica Brasileira recebe selo Women on Board

Iniciativa visa reconhecer, valorizar e divulgar a existência de ambientes corporativos com a presença de mulheres em conselhos de administração ou consultivos



A Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira acaba de ser contemplada com o selo “Women on Board”, chancela concedida a empresas que tenham mulheres em seus Conselhos, com o objetivo de demonstrar os benefícios desta diversidade ao mundo empresarial e à sociedade. A iniciativa, que conta com o apoio da ONU Mulheres, busca reconhecer as boas práticas em ambientes corporativos e acompanhar os benefícios oriundos da diversidade em posições de liderança, funcionando como um ativo estratégico e importante para empresas que pretendem se destacar em eficiência, criatividade e responsabilidade social. A OSB é a primeira orquestra no mundo a receber o selo.


Apesar de a OSB ser uma instituição sem fins lucrativos e não necessariamente uma empresa, vem se pautando pela busca da equidade de gênero, procurando seguir os ODS da ONU nesse sentido, de forma focada nos últimos anos. O meio musical sempre foi marcado por pouca representatividade das mulheres e, até a chegada de Ana Flávia Cabral Souza Leite, atual Vice-Presidente do Conselho Curador, esse assunto ainda não havia recebido espaço na estratégia de governança da instituição. Além de Ana Flávia, Patrícia Conde Caldas, CEO do Grupo Concal, e Solange Ribeiro, Deputy CEO da Neoenergia, também integram o Conselho da Orquestra Sinfônica Brasileira.

Desde sua fundação, em 1940, a OSB sempre esteve na vanguarda da música de concerto e manteve-se sintonizada com as transformações sociais no Brasil e no mundo. Nos últimos anos, de forma mais consistente, a Orquestra vem desenvolvendo diversas ações relacionadas à sustentabilidade, responsabilidade social e diversidade. “Para nós, é uma honra e muito simbólico receber o selo Women on Board. É uma oportunidade de reafirmarmos nosso compromisso com a equidade de gênero e a luta para que mais mulheres tenham seu merecido destaque na música de concerto”, diz Ana Flávia.


Na prática, a preocupação da Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira com a diversidade vem sendo observada não só na presença de mulheres em seu Conselho e quadro de colaboradores, como também na temporada artística da OSB. Maestras e solistas são regularmente convidadas para os concerto que, cada vez mais, contam com obras de compositoras no programa.

O WOB nasceu de um grupo de mulheres que participa direta e indiretamente de conselhos de administração e presencia na prática como a falta de diversidade leva, muitas vezes, às discussões aos mesmos lugares e conclusões e, em contrapartida, como uma ótica diferente é muito capaz de direcionar debates para um olhar que traz soluções inovadoras e visões estratégicas alternativas. Motivadas por começar a medir o impacto prático da presença de mais mulheres em conselhos de administração, nasceu a ideia da criação de um selo para certificar esses conselhos e, a partir da certificação, acompanhar o impacto efetivo da diversidade.



MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Érica Avelar

(21) 98119-4559 / 3596-7941

erica.avelar@gmail.com

Logotipo-GiroOSB-1.png

todas as notícias da orquestra