top of page
  • Orquestra Sinfônica Brasileira

Orquestra Sinfônica Brasileira se apresenta na Cidade das Artes dias 22 e 23 de abril

Apresentação de domingo marca os 80 anos dos Concertos para a Juventude




Sob a regência do maestro Ira Levin e com participação do pianista Fabio Martino a Orquestra Sinfônica Brasileira sobe ao palco da Grande Sala, na Cidade das Artes, nos dias 22 e 23 de abril. No programa de sábado, obras de Sergei Rachmaninoff e Max Reger. Já a apresentação da manhã de domingo será comemorativa dos 80 anos dos Concertos para Juventude e repetirá as duas obras de Rachmaninoff executadas na noite anterior.


O programa de sábado (22) começa com cinco composições de Rachmaninoff transcritas para orquestra pelo próprio maestro Ira Levin. A suíte abarca quatro obras originalmente escritas para piano, além de um hino ortodoxo extraído de Vespers, para coro a capella. Em seguida, o pianista Fabio Martino sobe ao palco para interpretar o Concerto para Piano e Orquestra em Fá sustenido menor, Op.1. Escrito quando Rachmaninoff tinha apenas 17 anos, o concerto exala ardor juvenil e impetuosidade, mas já evidencia a precoce maturidade estilística do compositor russo.


A segunda parte do espetáculo, dedicada à música de Max Reger, abre com o primeiro de seus Quatro Poemas Sinfônicos sobre A. Böcklin, Op.128. Escritas na maturidade artística do compositor, essas peças ilustram bem o gosto de Reger pelo universo soturno das pinturas de Arnold Böcklin (artista que, vale dizer, também inspirou o compositor Sergei Rachmaninoff). Encerrando o espetáculo, a OSB interpreta a transcrição para orquestra das Variações e Fuga sobre um Tema de J. S. Bach, Op.81. Originalmente escrita para piano, a obra, uma das mais complexas que Reger escreveu, apresenta ao intérprete uma série de desafios técnicos e é, sem dúvidas, um dos pináculos do gênero.



Concerto de domingo (23) celebra as oito décadas dos Concertos para a Juventude


Em abril de 1943, a Orquestra Sinfônica Brasileira deu início a um dos projetos que se tornaram um dos maiores feitos de sua história: os Concertos para a Juventude. As apresentações de caráter didático com entrada a preços populares são sucesso de público desde então, cumprindo um papel de ampliação de plateia e democratização do acesso à música de concerto. O bem-sucedido formato chegou a ser televisionado pela TV Globo ao longo de 19 anos, mais especificamente entre 1965 e 1984.


Em 2023, para celebrar os 80 anos de grandes e emocionantes encontros com o público, as apresentações terão lugar de destaque na programação, com mais de 20 récitas. "Os concertos para a juventude são um verdadeiro símbolo da Orquestra Sinfônica Brasileira. Rechear os teatros e salas de concertos com famílias inteiras, crianças, jovens, pais, avós, é sinônimo de alegria em torno da fruição da música de concerto, de modo leve, simples e acessível a todos. Ao longo de 80 anos, o projeto formou gerações de ouvintes atentos e queremos formar novas gerações de espectadores", explica Ana Flávia Cabral Souza Leite, vice-presidente executiva da Fundação OSB.



A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA:


Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 82 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura.

Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, a Shell e a NTS - Nova Transportadora do Sudeste como patrocinadores master, Brookfield e Eletrobras Furnas como patrocinadores, Sergio Bermudes Advogados e SulAmérica como copatrocinadores, além de um conjunto de apoiadores culturais e institucionais.



Saiba mais em



Ira Levin, regência

Fabio Martino, piano



PROGRAMA 22/03:

SERGEI RACHMANINOFF / IRA LEVIN - Cinco Peças para Orquestra

I. Oriental Sketch

II. Borogoditse Devo - All Night Vigil, Op.37 - nº6

III. Etude Tableu, Op.33 - nº 6

IV. Prelude, Op.32 - nº 10

V. Humoresque, Op.10 - nº 5

SERGEI RACHMANINOFF - Concerto para piano nº 1

I. Vivace Moderato

II. Andante

III. Allegro Vivace

MAX REGER - Quatro Poemas Sinfônicos sobre A. Böcklin, Op.128

I. O Eremita Violinista

MAX REGER / IRA LEVIN – Variações e Fuga sobre Tema de J. S. Bach, Op.81

Tema

10 Variações

Fuga


PROGRAMA 23/03:

SERGEI RACHMANINOFF / IRA LEVIN - Cinco Peças para Orquestra

I. Oriental Sketch

II. Borogoditse Devo - All Nigth Vigil, Op.37 - nº 6

III. Etude Tableu, Op.33 - nº 6

IV. Prelude, Op.32 - n° 10

V. Humoresque, Op.10 - nº 5

SERGEI RACHMANINOFF - Concerto para piano nº 1

I. Vivace Moderato

II. Andante

III. Allegro Vivace


SERVIÇO:

Série Pianistas – Rachmaninoff 150 anos

Dia 22 de abril (sábado), às 19h

Ingressos:

Plateia: R$30,00 (R$15 meia)

Frisa: R$30,00 (R$15 meia)

Camarote: R$20,00 (R$10 meia)

Galeria: R$10,00 (R$5 meia)


Série Pianistas – Rachmaninoff 150 anos

Concertos para a Juventude – Especial 80 Anos

Dia 23 de abril (domingo), às 11h

Ingressos:

Plateia: R$50,00 (R$25 meia)

Frisa: R$50,00 (R$25 meia)

Camarote: R$30,00 (R$15 meia)

Galeria: R$10,00 (R$5 meia)


Local: Cidade das Artes | Grande Sala (Avenida das Américas, nº 5.300 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro)

Ingressos à venda na bilheteria da Cidade das Artes e no site Sympla



MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA:

Érica Avelar

erica.avelar@osb.com.br

(21) 98119-4559

Comentarios


Acompanhe tudo sobre a orquestra que toca o Brasil

bottom of page