• Orquestra Sinfônica Brasileira

OSB realiza primeiro concerto da Série Músicos da OSB dia 22 de julho

Ciclo dá destaque aos músicos da orquestra, que atuarão na posição de solistas em grupos de câmara.




Jogar luz sobre as individualidades artísticas dos músicos da orquestra, colocando-os na posição de solistas em grupos de câmara. Esta é a proposta da Série Músicos da OSB, que a Orquestra Sinfônica Brasileira lançará no próximo dia 22 de julho. No primeiro concerto do ciclo, dois nonetos apresentarão obras de Louis Spohr e Josef Rheinberger. Ainda sem a presença do público, a apresentação foi pré-gravada na Sala Cecília Meireles e será veiculado nas páginas da OSB no Facebook e no Youtube.


“Em formações que reúnem sempre um músico por instrumento, cada um terá a oportunidade de se apresentar na posição de solista dentro de grupos de câmara. Estamos explorando as diversas possibilidades técnicas e artísticas de cada instrumento, em várias formações camerísticas”, explica o Coordenador Artístico da OSB, Nikolay Sapoundjiev. A Série Músicos da OSB é dedicada à memória de Antônio Seixas, trombonista da OSB, falecido em dezembro do ano passado.


O grupo formado por Nikolay Sapoundjiev (violino), Victor Botene (viola), Paulo Santoro (violoncelo), Alexandre Brasil (contrabaixo), Tiago Meira (flauta), Juliana Bravim (oboé), Thiago Tavares (Clarinete), Paulo Andrade (fagote) e Josué Soares (trompa) interpreta a primeira obra do programa. O “Noneto, Op.31”, do alemão Louis Spohr, é composto por quatro movimentos e foi escrito em 1813.

Embora escrito em grande escala (Spohr o chamou de “Grande Nonetto”), não há uma introdução. Começa imediatamente com um Allegro, cujo tema principal é apresentado pelo violino e repetido pelos sopros. Considerada uma obra-prima, é apontada como uma das melhores peças de música de câmara que ele escreveu. Louis Spohr foi um dos principais músicos do século XIX. Renomado violinista de concerto e um importante professor, compositor e maestro, foi um dos primeiros a usar a batuta e o inventor da “queixeira” para violinos.

Para interpretar a segunda peça do programa, o “Noneto, Op. 139”, de Josef Rheinberger, Mauro Rufino e Lisiane de los Santos assumem as posições do violino e violoncelo, respectivamente, e se juntam ao grupo. Considerada uma das melhores composições para a formação de noneto, a peça também possui quatro movimentos. O primeiro movimento Allegro, com os sopros, soa bastante “beethoviano”; o Minuetto Andantino é melódico e atraente; o Adagio molto, amplo e lúdico; e o Finale Allegro com melodias animadas.


Josef Gabriel Rheinberger, compositor e professor alemão cujas sonatas de órgão estão entre as melhores obras do século XIX para esse instrumento, é lembrado, principalmente, como o mais talentoso escritor de fugas depois de Johann Sebastian Bach.


PROGRAMA

Louis Spohr - Noneto, Op.31

I. Allegro

II. Scherzo - Allegro

III. Adagio

IV. Finale - Vivace

Josef Rheinberger - Noneto, Op.139

I. Allegro

II. Menuetto - Andantino

III. Adagio molto

IV. Finale - Allegro


SERVIÇO

OSB – Série Músicos da OSB

Dia 22 de julho de 2021 (quinta-feira), às 20h

Concerto pré-gravado, veiculado no Facebook e Youtube

facebook.com/orquestrasinfonicabrasileira

youtube.com/sinfonicabrasileira

Acesso gratuito


MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Érica Avelar

(21) 98119-4559 / 3596-7941

erica.avelar@gmail.com


todas as notícias da orquestra