top of page
  • Orquestra Sinfônica Brasileira

Celebrando 50 anos, Projeto Aquarius volta ao Rio de Janeiro com OSB, Lenine e Oz Crias

Responsável por levar a música clássica a todos os públicos, iniciativa de O Globo retorna com apresentação gratuita na Praça Mauá no ano do cinquentenário


Arte: Divulgação


Com o lema de democratizar a música clássica e a cultura, o Projeto Aquarius, criado em 1972 pelo jornal O Globo, está de volta ao Rio de Janeiro levando grandes concertos ao público. A volta do projeto está marcada para o dia 6 de agosto, às 17h, na Praça Mauá. De forma gratuita, as pessoas poderão desfrutar da apresentação da Orquestra Sinfônica Brasileira com participações especiais.


O "passinho" já está com a presença marcada no evento. Ao som de uma improvisação rítmica, executada pelo naipe de percussão da orquestra, os dançarinos do grupo Oz Crias realizarão uma performance que promete levantar o público. Será o encontro entre a tradição da OSB e a juventude genuinamente carioca. Formado por moradores da Rocinha, Lins e Vila Isabel, o grupo utiliza referências do pop e do funk da favela na criação de suas coreografias. Ainda, os fãs da música popular brasileira poderão desfrutar da participação especial do aclamado cantor Lenine. O acordeonista, compositor, arranjador e premiado instrumentista João Teixeira também fará uma participação especial no concerto. Já a regência da apresentação será do maestro Roberto Tibiriçá.


Idealizado pelo jornalista Roberto Marinho (1904-2003), por Péricles de Barros (1935-2005), então gerente de Promoções do GLOBO, e pelo maestro brasileiro Isaac Karabtchevsky, o projeto voltado à formação de público e inclusão cultural revolucionou o consumo de música clássica no Brasil, rompendo o estigma de que música de concerto não encontraria público fora de casas como Theatro Municipal e Sala Cecília Meireles.


Ao longo de suas 43 edições, o evento levou centenas de espetáculos a diferentes cidades do Brasil, reunindo milhares de pessoas em ambientes ao ar livre para desfrutar dos sucessos da música clássica, como a apresentação de “Eros-Thanatos”, balé do coreógrafo francês Maurice Béjart, no Maracanãzinho, em 1981; a montagem da ópera “Aída”, de Verdi, que, com duas horas de duração e cantada em italiano, foi vista por 200 mil pessoas na Quinta, em 1986; e o Balé Bolshoi com “Don Quixote” em 1989, diante de 180 mil espectadores, também na Quinta.


Ainda, o Aquarius promoveu concertos inovadores com fusões de diversos gêneros musicais, como em 2015, na 43ª edição do Aquarius, em que a plateia presente na Cinelândia vibrou com as participações da bateria da Mangueira e do Dream Team do Passinho. “O Aquarius é um dos maiores orgulhos da história do GLOBO. Há 50 anos, com criatividade e inovação, ele mostra que é possível levar erudição para grandes plateias”, destaca Alan Gripp, diretor de redação do GLOBO. “O projeto já teve rock, samba, funk e fusões criadas especialmente para o público. Milhares de pessoas tiveram seu primeiro contato com a música clássica pelo Aquarius”, completa.


“É com orgulho que o Instituto Cultural Vale se junta ao Projeto Aquarius em seus 50 anos, reafirmando que a música de concerto deve ir além. Ela é de todos e para todos. São ações como esta, em espaços abertos e inesperados, sem distinções, que refletem, a cada acorde, o poder transformador da cultura na vida das pessoas”, afirma Hugo Barreto, Diretor-Presidente do Instituto Cultural Vale.


“Estamos muito felizes com essa parceria. O patrocínio ao projeto Aquarius é uma excelente oportunidade de conectar a nossa marca com a sociedade e o público carioca. Ele traz múltiplas oportunidades, reforça a nossa imagem e ainda contribui para levar a música erudita a um público diverso”, explica Leo Burgos, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Marketing da Vibra. O patrocínio da Vibra ao evento faz parte do movimento da companhia em retomar o incentivo à cultura e ao entretenimento. A iniciativa visa, além de fortalecer a base de atuação da Vibra no mercado e incentivar as artes, também apresentar ao público sua nova marca corporativa em uma experiência de conexão com as pessoas através da energia da música e cultura.


Ana Flávia Cabral Souza Leite, Vice-Presidente da Fundação OSB, expressa a emoção da OSB com a volta do projeto: "Retomar o Aquarius é motivo de imensa alegria para a Orquestra Sinfônica Brasileira. Nunca foi tão simbólico extrapolar os limites das salas de concerto e levar música a milhares de pessoas, resgatando esse fundamental projeto na memória afetiva do Rio de Janeiro e dos cariocas. Estamos preparando um repertório que promete emocionar, com uma linha do tempo do projeto, com obras que marcaram história em alguns dos memoriáveis concertos do Aquarius."


O histórico pujante e o potencial artístico do Projeto Aquarius, que cria salas de espetáculo ao ar livre e há 50 anos forma uma plateia de amantes da música clássica, comprovam que o erudito também pode ser popular. "Orgulhosamente, a Fecomércio RJ por meio do Sesc apoia esta brilhante iniciativa que reforça nosso papel social de conectar pessoas, exaltar a diversidade e fortalecer a cultura fluminense”, celebra Antonio Florencio de Queiroz Junior, presidente do Sistema Fecomércio RJ.


O Aquarius é uma realização do GLOBO, com apresentação das empresas Vale e Vibra; patrocínio do governo do Estado do Rio de Janeiro e da secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura; apoio do Sesc-RJ; e parceria da Orquestra Sinfônica Brasileira.


MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Érica Avelar | erica.avelar@osb.com.br

(21) 98119-4559


Comentarios


Acompanhe tudo sobre a orquestra que toca o Brasil

bottom of page