top of page
  • Orquestra Sinfônica Brasileira

Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem se apresenta pela primeira vez na Cidade das Artes

Grupo recém-formado contará com regência do maestro Anderson Alves e participação do oboísta Giovanni Martins



No dia 13 de setembro, a Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem subirá, pela primeira vez, no palco da Grande Sala, na Cidade das Artes. No concerto, que contará com regência do maestro Anderson Alves, o grupo apresentará obras de Ewald, Villani-Côrtes, Marcello e Beethoven. Oboísta da OSB, Giovanni Martins será o solista na ocasião.


Este será o terceiro concerto do grupo recém-formado. A OSB Jovem renasce como orquestra social plural e diversa, que tem por princípio o desenvolvimento e o fortalecimento da diversidade, da equidade e da inclusão por meio da música, a fim de fomentar nos alunos e professores uma consciência social e o senso de comunidade. Os integrantes foram selecionados por meio de um processo que levou em consideração critérios específicos como renda familiar, gênero e autodeclaração de raça.


Com o retorno da OSB Jovem, a Orquestra Sinfônica Brasileira reafirma seu compromisso com a educação musical, presente em tantos outros projetos da instituição. O objetivo é apoiar a renovação do cenário musical do Brasil, oferecendo a estrutura necessária para uma experiência completa de formação de jovens músicos. Um espaço no qual eles poderão aperfeiçoar técnica instrumental, ampliar repertório e receber mentoria de alguns dos maiores músicos do país. Em sua retomada, a OSB Jovem conta com apresentação da Shell.



A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA:


Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 83 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura.




Sobre a Shell Brasil: Há 110 anos no país, a Shell é uma empresa de energia integrada com participação em Upstream, no Novo Mercado de Gás Natural, Trading, Pesquisa & Desenvolvimento e no Desenvolvimento de Energias Renováveis, com um negócio de comercialização no mercado livre e produtos ambientais, a Shell Energy Brasil. Aqui, a distribuição de combustíveis é gerenciada pela joint-venture Raízen, que recentemente adquiriu também o negócio de lubrificantes da Shell Brasil. A companhia trabalha para atender à crescente demanda por energia de forma econômica, ambiental e socialmente responsável, avaliando tendências e cenários para responder ao desafio do futuro da energia.



PROGRAMA:

VICTOR EWALD - Quinteto nº 1 em si bemol maior, Op.5

  1. Moderato - Piu mosso

  2. Adagio non troppo lento

  3. Allegro moderato

EDMUNDO VILLANI-CÔRTES - Cinco Miniaturas Brasileiras

  1. Prelúdio

  2. Toada

  3. Choro

  4. Cantiga de Ninar

  5. Baião

ALESSANDRO MARCELLO - Concerto para Oboé e orquestra

I. Andante e spiccato

II. Adágio

III. Presto

- intervalo -

LUDWIG VAN BEETHOVEN - Sinfonia nº 5 em dó menor, Op.67

  1. Allegro con brio

  2. Andante con moto

  3. Scherzo - Allegro

  4. Allegro



SERVIÇO:

Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem

Dia 13 de setembro (quarta-feira), às 19h30

Local: Cidade das Artes | Grande Sala (Avenida das Américas, nº 5.300 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro)

Ingressos: R$10,00 (R$5 meia) – Todos os setores

Ingressos à venda na bilheteria da Cidade das Artes e no site Sympla



MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA:

Érica Avelar

erica.avelar@osb.com.br

(21) 98119-4559







Comentarios


Acompanhe tudo sobre a orquestra que toca o Brasil

bottom of page