top of page
  • Orquestra Sinfônica Brasileira

OSB leva quarteto de flauta e cordas à Sala Cecília Meireles, dia 9 de julho

Alexis Angulo (flauta), Gabriela Queiroz, (violino), Tiago Vieira (viola) e Emília Valova apresentam obras de Mozart e Dvořák



A especial combinação da flauta com um trio de instrumentos de cordas é o grande destaque do concerto que a Orquestra Sinfônica Brasileira leva ao palco da Sala Cecília Meireles na manhã de 9 de julho. Para interpretar obras de Wolfgang Amadeus Mozart e Antonín Dvořák, o flautista Alexis Angulo se une à violinista Gabriela Queiroz, ao violista Tiago Vieira e à violoncelista Emília Valova.


Wolfgang Amadeus Mozart escreveu o caloroso e compacto Quarteto em Ré Maior, K. 285 durante sua estadia em Mannheim entre 1777–1778. Dedicada ao flautista Ferdinand De Jean, a composição é marcada pela limpidez das texturas, pela beleza das melodias e pelo diálogo cintilante entre a flauta e as cordas.


O compositor tcheco Antonín Dvořák compôs seu Quarteto em Fá maior, “Americano”, Op. 96 em 1893, durante sua estadia nos Estados Unidos. De férias em Spillville, então lar de uma grande uma comunidade tcheca, o compositor se sentiu em casa, encantado com a tranquilidade da vida campestre. A escrita do Quarteto Americano se deu em pouco mais de duas semanas, e a obra parece equilibrar de maneira fascinante a clareza estrutural e o impulso criador de Dvořák. Originalmente escrito para quarteto de cordas, o quarteto será ouvido em versão com flauta de Stephan Koncz, que magistralmente conseguiu respeitar o original ao mesmo tempo que explora as qualidades singulares do instrumento de sopro.





A ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA:


Fundada em 1940, a Orquestra Sinfônica Brasileira é reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes do país. Em seus 82 anos de trajetória ininterrupta, a OSB já realizou mais de cinco mil concertos e é reconhecida pelo pioneirismo de suas ações, tendo sido a primeira orquestra a realizar turnês pelo Brasil e exterior, apresentações ao ar livre e projetos de formação de plateia.

Composta atualmente por mais de 70 músicos brasileiros e estrangeiros, a OSB contempla uma programação regular de concertos, apresentações especiais e ações educativas, além de um amplo projeto de responsabilidade social e democratização de acesso à cultura.

Para viabilizar suas atividades, a Fundação conta com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, a Shell e a NTS - Nova Transportadora do Sudeste como patrocinadores master, Brookfield e Eletrobras Furnas como patrocinadores, Sergio Bermudes Advogados e SulAmérica como copatrocinadores, além de um conjunto de apoiadores culturais e institucionais.



Saiba mais em



Alexis Angulo, flauta

Gabriela Queiroz, violino

Tiago Vieira, viola

Emília Valova, violoncelo



PROGRAMA:

WOLFGANG AMADEUS MOZART - Quarteto em Ré Maior, K. 285 para flauta, violino, viola e violoncelo

I. Allegro

II. Adagio

III. Rondo

ANTONIN DVORAK - Quarteto em Fá Maior “Americano”, op. 96 (Versão com flauta de Stephan Koncz)

I. Allegro ma non troppo

II. Lento

III. Molto vivace

IV. Vivace ma non troppo



SERVIÇO:

Série Músicos da OSB

Dia 9 de julho (domingo), às 11h

Local: Sala Cecília Meireles (Rua da Lapa, 47 – Centro, Rio de Janeiro)

Ingressos: R$10,00 (R$5 meia)

Ingressos à venda na bilheteria da Sala Cecília Meireles e no site Eleven Tickets



MAIS INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA:

Érica Avelar

erica.avelar@osb.com.br

(21) 98119-4559


Comments


Acompanhe tudo sobre a orquestra que toca o Brasil

bottom of page